O postulante ao ingresso nos quadros da Ordem Maçônica deve inicialmente realizar uma auto avaliação em busca de valores, costumes, atitudes (interiores) e comportamentos sociais exteriorizados, que acredita e efetivamente realiza em seu cotidiano.

Além de conhecer bem seu “EU” interior, deve ainda, seguir algumas premissas abaixo apresentadas:

A) Aspectos Legais:

  • – Ser emancipado e ter completado 21 anos antes da cerimônia de Iniciação;
  • – Se dependente, pecuniariamente, obter anuência dos seus genitores ou tutores;
  • – Se engajado em união estável legal, contar com a concordância da esposa;
  • – Ser um homem íntegro, ligado e atualizado em relação ao seu tempo;
  • – Ser empreendedor e capaz de assumir responsabilidades;
  • – Ter emprego, residência e domicílio fixos, no Oriente (estado, município) pleiteado; suas atividades profissionais devem ser lícitas, não importando o metier;
  • – Esperar encontrar na Loja pleiteada, homens livres, de bons costumes, capazes de realizar obras poderosas em benefício da Humanidade, da Pátria e da Família;

B) Doutrinário:

  • – Ter religiosidade, melhor do que religião;
  • – Crer em Deus, acima de tudo;
  • – Ter uma ideia clara da virtude e do vício, adotando aquela e rejeitando este;
  • – Estar apto a apreender conhecimentos litúrgicos e filosóficos;
  • – Distinguir entre religião e maçonaria;
  • – Ser respeitado na Iniciação, não só pelas características esotéricas, exotéricas e metafísicas do evento, como pelo significado simbólico trazido pelas nossas tradições e regularidade;

C) Prático:

  • – Apresentar bons costumes;
  • – Ter boa família;
  • – Seguir as leis;

D) Metafísico:

  • – Ser receptivo às ideias;
  • – Estar ideologicamente alinhado com a ideia de Deus;

E) Da tradição:

  • – Estar apto; ou pronto, disposto e capacitado, “sponte sua” (por sua própria iniciativa);

F) Iniciático:

  • – Creditar respeito ao processo;
  • – Manter o espírito receptivo (“nada lhe será cobrado; tudo lhe será dado”);

A admissão à Maçonaria é restrita a pessoas adultas sem limitações quanto à raça, credo e nacionalidade, desde que gozem de reputação ilibada e que sejam homens íntegros.

Nenhum homem, por melhor que seja, poderá ser recebido na Maçonaria, sem o consentimento de todos os maçons. Se alguém fosse imposto à Maçonaria, poderia ali causar desarmonia, ou perturbar a liberdade dos demais, o que sempre deve ser evitado.

A aceitação do pedido de ingresso na Ordem depende bastante da declaração de motivos do candidato. A Ordem espera que o candidato seja sincero perante sua própria consciência, quando do preenchimento da proposta de admissão.

Quando alguém se candidata a ingressar na Maçonaria, é verificado em sindicância se dispõe de ganhos pecuniários que permitam cumprir os compromissos maçônicos, sem sacrificar a família. Vale dizer que nenhum homem casado poderá entrar para a Maçonaria sem que a esposa esteja de acordo.

É óbvio que, ao se iniciar na Maçonaria, o indivíduo deverá assumir compromissos derivados de participação engajada e responsável nas lides maçônicas. Entre os compromissos e responsabilidades, encontram-se aqueles de estudar, com mente aberta, as instruções maçônicas, bem como, o de considerar denso sigilo sobre os ensinamentos recebidos e contribuir pecuniariamente para a manutenção de sua Loja e sua Obediência. Os compromissos e responsabilidades, a propósito, são do mesmo gênero daquelas encontradas em qualquer associação humana.

É fato inconteste que uma das finalidades da Ordem é a de implantar sistematicamente na sociedade humana uma efetiva fraternidade entre os homens.

Ao contrário do “folclore” que alimenta a crença de muita gente, a Maçonaria não é uma sociedade secreta e exerce suas atividades extensivamente, sob o pálio da legitimidade de sua natureza e da legalidade de seus atos e fatos administrativos, fiscais e tributários. Suas Propriedades, Constituições, Emendas, Regimentos e Estatutos são registrados em cartório de imóveis, títulos e documentos, e publicados em Diário Oficial.

Ninguém pode solicitar diretamente sua admissão a uma loja maçônica. Seus membros são aceitos apenas por convite expresso. Um maçom, e somente este, é quem regularmente encaminha à sua loja o pedido de iniciação de um candidato.

Assim, se alguém deseja ser admitido na Ordem Maçônica, deve procurar um maçom e através deste solicitar o ingresso. Por meio deste procedimento, o interessado receberá todas as instruções necessárias ao encaminhamento do pedido formal de admissão. A Loja Maçônica do maçom que apresenta o candidato é a porta natural de ingresso do interessado na Ordem.

Sendo uma sociedade iniciática, os membros são integrados à irmandade universal, através de um ato solene. Este ato de admissão de um novo membro na maçonaria é feito através de um cerimonial tradicional denominado “Iniciação”.

Ninguém é recebido na Ordem, como maçom, senão pelo solene e tradicional cerimonial da Iniciação. Essa forma de ingresso repete-se, através dos séculos, inalterada e possui um belíssimo conteúdo, que obriga o iniciando a meditar profundamente sobre os princípios filosóficos que sempre inquietaram a humanidade.

Uma vez Iniciado, o postulante torna-se Maçom, e, como tal, estará, para todo o sempre, sob constante vigilância de sua própria consciência e dos demais Maçons.

——————————
Fontes (texto adaptado):
http://www.gosp.org.br/maconaria/como-ser-macom
http://www.comunidademaconica.com.br/Maconaria/Iniciar/default.aspx